Notícias do Setor

Setor cerâmico busca aquecer indústria da construção civil

Além dos porcelanatos, Ceusa Revestimentos Cerâmicos fomenta mercado interno com a fabricação de telhas e produtos para coberturas

A venda dos materiais de construção vem registrando índices abaixo da média em 2014, com projeção dos indicadores considerados regulares para o mês de novembro, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Em contrapartida, o Brasil é considerado um dos principais produtores de revestimentos cerâmicos no mercado mundial, ocupando a segunda posição em produção e consumo. Em 2013 foram produzidos 871,6 milhões de metros quadrados e as perspectivas para 2014 atingem a marca dos 917,2 milhões, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres (Anfacer).

Esses índices fomentam a indústria de diversos materiais da construção civil, incluindo de telhas, coberturas e de impermeabilização. E como alternativa para superar o pessimismo até o fechamento do ano, diversas empresas do setor têm ampliado os investimentos em busca do aquecimento para o mercado interno, com soluções e alternativas para o consumidor.

Para o supervisor nacional de vendas da Ceusa Revestimentos Cerâmicos, Fernando Consoni, o mercado de telhas encontra-se em expansão onde são encaradas novas possibilidades e tecnologias, enquanto há poucos anos falava-se apenas em limitadas tecnologias e produção à base do barro. “A fabricação de telhas representa hoje 8% do faturamento da Ceusa e uma produção mensal de 50 mil metros quadrados. Isso vai ao encontro ao planejamento estratégico de trabalhar com a diferenciação, seja no material utilizado, no formato e em suas características estéticas e de aplicação”, destaca.

As telhas Ceusa são produzidas com a mesma matéria-prima utilizada nos porcelanatos, chamados gres, nas modalidades ondulada e plana, é um produto exclusivo e já patenteado pela empresa no Brasil. Há 60 anos no mercado dos revestimentos cerâmicos, a empresa de Urussanga é pioneira na produção de revestimentos polidos e retificados, na produção de peças especiais contínuas, na utilização de impressoras a jato de tinta em decoração e na produção de porcelanatos esmaltados superfinos. A Ceusa também possui a patente da cerâmica holográfica 3D, na qual ocorre o efeito de transição de imagens de acordo com o ângulo de visão e, desde o início de 2014, a patente do porcelanato AS em que as peças são assentadas sem rejunte, apenas com encaixe “click”.

A comercialização das telhas Ceusa abrange todo o território nacional, com foco na região Sul do país além de outros países. Para a gerente de vendas técnicas da Ceusa, Fabrisia Benincá, as perspectivas para os próximos anos são ainda mais promissoras com a previsão de investimentos de aproximadamente 850 mil reais em todo o segmento de telhas. “Estamos confiantes com um mercado que demonstra poder aquisitivo e mais ainda com o fortalecimento da telha plana nestes mercados. Trata-se da única telha do Brasil com garantia de cinco anos contra gretagem de esmalte e defeitos estéticos, além da alta compactação acima dos padrões de exigência da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o que significa alta resistência à ruptura: a ABNT exige resistência aproximada de 130 quilos e a Ceusa trabalha com resistência de 670 quilos, por exemplo”, exemplifica a gerente.

Por: Amanda Garcia Ludwig
Colaboração: Cibele Córdova/Novo Texto Comunicação

Créditos: engeplus.com.br
By |11/11/2014|Comentários desativados em Setor cerâmico busca aquecer indústria da construção civil
Translate »