Empresas da Feira Construsul investem em inovações que aumentam a produtividade na construção

Empresas da Feira Construsul investem em inovações que aumentam a produtividade na construção

Expositores apostam em itens que oferecem economia, praticidade e redução de desperdício nas obras

A palavra do momento é economia e não faltaram ideias e produtos que oferecem mais produtividade e menos desperdício. Características como essas foram destaque entre os 564 expositores da 18° Construsul – Feira Internacional da Construção que iniciou na quarta-feira (05/08) e encerrou no sábado (08/08). O evento, realizado nos pavilhões da Fenac, reuniu aproximadamente 70 mil pessoas durante os quatro dias de funcionamento.

Na onda de transformar a crise em oportunidade, algumas soluções são mais valorizadas. A geração de energia solar é um exemplo. Diante da crise de geração de energia elétrica no Brasil, onde a matriz é baseada no sistema de hidrelétricas, o país passou a consumir mais energia de usinas que encarecem o valor cobrado do consumidor e a previsão é que suba ainda mais. Com base nisso, a constatação é que há um potencial enorme de crescimento de produção de energias alternativas.

– Viemos trazer para a Feira Construsul um sistema de energia solar e sustentável. Fornecemos o sistema completo, desde a concepção do projeto de engenharia, o dimensionamento do sistema solar, fornecimento e instalação dos equipamentos e integração junto à concessionária. Muitas vezes o consumidor não se dá conta que não basta só comprar o equipamento para se tornar um autoprodutor e microgerador de energia – afirmou o diretor executivo da GetX, Juliano Fonseca.

Outro exemplo é a tecnologia LED presente nas lâmpadas e que, no médio e longo prazo, permitem a tão desejada redução na conta de energia elétrica. De acordo com o diretor presidente da G Light, Gerhard Marschallinger, o consumo residencial pode ser até 50% menor.

– O LED está muito em alta em 2015. As pessoas estão substituindo as lâmpadas buscando economia. Nos últimos 12 meses, o custo da energia elétrica subiu de 60% a 80% no país. Com pequenas trocas, já são 30% de economia. Em muitos casos, trocando as lâmpadas por LED, o consumo baixa 50% em uma residência. É uma diferença enorme na conta de luz – relata Gerhard Marschallinger.

Uma das atrações mais queridas pelo público foi trazida em uma ação de marketing da Bakoftec. Para mostrar que a empresa oferece as maiores e menores caixas de água, foi convidado o homem mais alto do Brasil. Ninão de 2,30 metros de altura atraiu olhares curiosos e muitas fotos dos participantes da 18ª Feira Internacional da Construção.

– Trabalhamos com caixas de água em fibra de vidro e polietileno desde ás pequenas até as de grandes volumes. Além disso oferecemos produtos em tratamento de esgoto desde uma estrutura familiar a até ambientes que atendam 320 pessoas – afirmou o gerente comercial da Bakoftec, Alysson Knapp Bakof.

O público acompanhou atento às novidades exibidas pelas empresas. A arquiteta e urbanista, Gabriela Feltes da Silveira, buscava novidades para agradar seus clientes.

– Estou muito satisfeita com a feira. Na quarta, eu visitei a Construsul e foquei na iluminação. Hoje, estou olhando tudo sobre revestimentos e materiais. O interessante é observar produtos e processos diferenciados e inovadores – relatou Gabriela Feltes da Silveira.

Sem uma noção exata do que encontraria na Construsul, o empresário Brilho Ribeiro, de 62 anos, ficou muito satisfeito com os estandes da feira. Depois de conhecer quase todos os corredores, iniciou um negócio com uma empresa de sistemas de energia solar. 

– Tenho uma empresa no ramo dos plásticos e vim na feira para ver o que poderia ser utilizado. No fim, iniciei uma negociação com uma empresa de sistemas de energia solar para minha organização – ressaltou Brilho Ribeiro.

Mais de R$ 600 milhões em negócios

Após quatro dias de evento a estimativa das empresas é que o volume de negócios tenha ficado muito próximo a meta de R$ 600 milhões. 

– Muitos negócios foram iniciados aqui na feira. As empresas ficaram muito satisfeitas e os visitantes gostaram do que viram. Os corredores ficaram congestionados nos quatro dias e o público presente era bastante capacitado – comentou o diretor da Sul Eventos, empresa organizadora da Construsul, Luiz Inácio Sebenello.

A complexidade do setor da construção foi lembrada como um dos destaques que asseguram a manutenção econômica, já que obras e reformas são muitas vezes realizações indispensáveis para residência, comércio ou indústria. 

– A construção civil envolve atividades complementares e diversificadas. Um dos campos mais importantes é da habitação. As pessoas vão continuar comprando imóveis por muitas razões, casamento, aumento da família ou para investimento mesmo. A construção é um ramo difícil de parar – avaliou.

Construsul em 2016

A Construsul já tem a data definida para o ano de 2016. O evento seguirá em Novo Hamburgo, RS, no ano que vem. A 19° edição acontece na Fenac entre os dias 3 e 6 de agosto. O diretor da Sul Eventos Ricardo Richter adiantou que a próxima feira buscará ainda mais alternativas sustentáveis e que reduzam os custos nos canteiros de obra.

– Os visitantes ficam muito interessados em temas como a sustentabilidade e promover redução de custos e desperdício. Para 2016, queremos seguir qualificando nosso público. Trabalharemos forte nesta ideia – relatou Ricardo Richter.

A 18° Construsul – Feira Internacional da Construção ocorreu entre quarta-feira (05/08) e sábado (08/08), na Fenac, em Novo Hamburgo, RS. Simultaneamente aconteceu a 10ª ExpoMáquinas – Feira de Máquinas e Equipamentos para Construção.

By |10/08/2015|Comentários desativados em Empresas da Feira Construsul investem em inovações que aumentam a produtividade na construção
Translate »