Varejo de material de construção deve fechar o ano com alta de 9%

Varejo de material de construção deve fechar o ano com alta de 9%

Resultado é otimista, mas setor ainda sente os impactos do crescimento lento da renda e desconfiança da estabilidade de emprego

As lojas de material de construção representam o terceiro maior segmento do varejo ampliado. Mesmo com um cenário econômico incerto, especialistas estão mais otimistas para esse ano. Segundo o Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar), a categoria estima um aumento de 2,21% em novembro, em relação ao mesmo período do ano passado. “Esperamos fechar o ano com um resultado favorável, mas podemos notar alguns fatores responsáveis por frear o aquecimento do mercado de construção, como o crescimento lento da renda e certa desconfiança quanto à estabilidade de emprego”, avalia o diretor executivo do Ibevar, Nuno Fouto.

Segundo associações do segmento, este ano, o varejo de material de construção apresentou uma alta de 7%, até o momento, e estima fechar o ano com 9%, no total. Um dos pontos que contribuem para esse resultado é o déficit do mercado imobiliário, que não se recuperou completamente após a última crise. Para Fouto, existem ofertas, mas também uma relativa dificuldade de vendas. “Isso possibilita o desenvolvimento do segmento, pois como as pessoas optam por não trocar o imóvel em decorrência dessa crise, elas precisam fazer a manutenção e muitas ainda fazem adaptações e reformas no geral para deixar o ambiente de sua preferência”, completa.

By |26/10/2018|Comentários desativados em Varejo de material de construção deve fechar o ano com alta de 9%
Translate »