Notícias do Setor

Areia, grão a grão

Formato, granulometria e pureza da areia influenciam permeabilidade de revestimentos argamassados

O concreto contém agregados graúdos, como a brita, e miúdos, como a areia. Esta pode ser obtida a partir de fontes naturais, mas também pode ser industrializada. No primeiro caso, a origem mais comum é o leito dos rios. No segundo, a areia vem da chamada britagem de rochas.

Areias industrializadas não costumam ter impurezas, e seus grãos são mais uniformes. Sua textura, quando comparada às naturais, é mais áspera, o que pode resultar em argamassas mais duras, que sofrem retração e aumentam os riscos do surgimento de fissuras. São melhor opção para os chapiscos.

Já a areia natural pede menos água, mas pode ter impurezas como a argila e outros materiais orgânicos que provocam reações indesejadas, como expansão, retração, redução da aderência, chegando a até impedir o endurecimento da argamassa.

Por isso, a norma ABNT NBR 7.211 – Agregados para concreto – Especificação, da Associação Brasileira de Normas Técnicas, limita a quantidade de torrões de argila a 3%. O mesmo percentual é o limite máximo para a concentração de outros materiais finos. Já impurezas orgânicas podem chegar a 10% do volume de toda a areia comprada.

A cor da areia é um bom indicativo da sua limpeza, mas não deve ser a única forma de avaliar qualidade.

Como especificar

A escolha da argamassa para revestimentos de fachadas depende da permeabilidade ao ar e à água. O ideal é que tenham certa permeabilidade ao ar, permitindo que a água livre, presente nos poros do material, evapore. Deve ser impermeável à água na forma líquida (chuva).

Melhor saída é usar areias médias, de boa distribuição granulométrica (os grãos de areia têm aproximadamente o mesmo tamanho), que reduzem o consumo de aglomerantes e a retração na secagem. Areias finais aumentam a retração e fazem uma massa mais porosa.

A permeabilidade à água em seu estado líquido também pode ser reduzida com a adição de finos inertes, materiais pozolânicos ou mesmo aditivos plastificantes encontrados à venda nas lojas de materiais de construção.

A qualidade da argamassa vai depender, diretamente, da quantidade de areia no traço, da forma e do tamanho de seus grãos, da sua distribuição na mistura e do teor de argila e outros materiais orgânicos.

Lupa sobre a areia

Confira algumas dicas para identificar impurezas na areia:

  • Cheiro desagradável pode indicar presença de matéria orgânica em grande quantidade;
  • Aspecto rosado pode ser indício de argila;
  • Se tiver uma amostra padrão no canteiro, faça a comparação com a areia recebida, assim que chegar;
  • Ao esfregar a areia nas suas mãos, elas não podem ficar sujas;
  • Coloque areia até a metade da altura em uma garrafa transparente. Adicione ¾ de água limpa. Agite e deixe repousar por 20 minutos. Se depois desse tempo a água se mostrar turva, ou com espuma amarelada, pode ter havido contaminação. O correto é a água se manter clara.
* Com informações cedidas pelo pesquisador Ercio Thomaz, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).
Créditos: mapadaobra.com.br
By |26/11/2014|Comentários desativados em Areia, grão a grão
Translate »